DO TRABALHO INFANTIL À ESCRAVIDÃO CONTEMPORÂNEA: A REALIDADE MULTIFACETADA DA EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Lídia Anjos, Gabriela Maia Rebouças

Resumo


Este artigo reflete sobre a exploração sexual de crianças e adolescentes, como uma questão multifacetada de produção e reprodução de contextos desumanos de degradação, revitimização e violência múltiplas. Será demonstrado neste trabalho como este fenômeno ainda é cercado de mitos, tabus, discriminação e preconceitos que, ao invés de proteger a criança e o adolescente, ampliam a rede de exploração, multiplicando as condições opressoras de seu contexto. Esta grave problemática que ao longo dos tempo passou a ser entendida e caracterizada pelos organismos internacionais, a exemplo da Organização Internacional do Trabalho – OIT, como uma das piores formas de trabalho infantil, está diretamente relacionada às formas análogas ao trabalho escravo ou escravidão contemporânea. Com suporte em uma revisão bibliográfica, serão comparados os conceitos de escravidão, bem como seus elementos constitutivos, com ênfase à caracterização do trabalho degradante como forma análoga ao trabalho escravo, o conceito de exploração sexual e de como este fenômeno se relaciona com a criança e o adolescente envolvendo-os de forma extremamente perversa. Ao final, a realidade multifacetada desta exploração será desnudada. Serão apontados subsídios que caracterizam essa prática e possíveis caminhos que levam à importância do seu enfrentamento a partir da mobilização social de entidades, como os centros de defesa e movimentos de direitos humanos, militantes e ativistas sociais, fóruns de defesa da criança e do adolescente e do próprio segmento infanto-juvenil priorizando a denúncia, os espaços de discussão sobre a realidade local e, enfim, a visibilização do problema como uma das formas mais cruéis de escravidão contemporânea, sempre na perspectiva da proteção, promoção e defesa deste segmento.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

ISSN: 1679-9844 
  

 This work is licensed under a Creative Commons License Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.