TRILHOS E TRILHAS: ESTRATÉGIAS DE RESISTÊNCIA DOS COLETIVOS RURAIS EM AÇAILÂNDIA (MA) NO ENTORNO DA DUPLICAÇÃO DA ESTRADA DE FERRO CARAJÁS-SÃO LUIZ

Wilson Madeira Filho, Eduardo Castelo Branco e Silva, Rodolfo Bezerra de Menezes Lobato da Costa, Deborah Zambrotti Pinaud

Resumo


No encontro das trilhas de pequenos agricultores com os trilhos de ferro de um dos maiores empreendimentos nacionais (Estrada de Ferro Carajás – EFC), encontram-se, também, diferentes perspectivas sobre os usos da natureza, da cultura e do território. A cidade que tem em seu nome um dos símbolos da floresta Amazônica (Açailândia), traz a história dos primeiros Assentamentos Rurais na região e, atualmente, a reorganiza a resistência em resposta à duplicação da EFC. A reorganização econômica com ênfase em atividades industriais acontece sob protestos de associações rurais que percebem a poluição, o trabalho infantil e o trabalho análogo ao escravo como processos que pertencem a um modelo que consorcia "desenvolvimento" com diferentes formas de "violências". Esse artigo evidencia os conflitos socioambientais como desafios para a consolidação de comunidades rurais no Sul do Maranhão.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1679-9844